Do jeito que as coisas andam, com tantas restrições e proibições à publicidade, com tantas ONGs vigiando a nossa atividade, com toda a sociedade cobrando uma comunicação mais responsável (leia-se castradora, chata e insossa), não tardará para os advogados invadirem com tudo as agências e tomarem de assalto as nossas mesas e cadeiras.

É triste, mas é verdade. Que antropólogos, psicólogos, sociólogos, filósofos… que nada! Em vez das agências trocarem ideias com profissionais que podem enriquecer o processo estratégico/criativo em busca de grandes conceitos, as agências serão obrigadas a abrir suas portas para os profissionais do Direito.

Não demorará muito, para o Homem (ou Mulher) das Leis ter mais poder que o Diretor de Criação, o Diretor de Planejamento e o Diretor de Atendimento juntos.

Aliás, todos terão que responder para o CEO of Laws, que acumulará a função de Presidente Honorável Inquestionável da agência. Questão de hierarquia. Já posso ver até a cena desta distinta figura recebendo os seus comandados:

– Estão loucos? Campanha com criança, a lei não deixa. Não pooooooooode!
– Ah, que brincadeira é essa? Vão usar humor? Fazer as pessoas rirem não poooode. Podem refazer a campanha.
Oquequéisso? Já falei para vocês. Ideia do caralho não poooooooooode. Vão apelar para a pornografia agora?

Anúncios