O catártico fremir do vento pluriforme
Esculpe disforme teu cabelo em aço
No ato atirada ao desfastio e cama
Garganta ainda chora: cio e riso em transe
O êxtase bramido em murmúrios e cânticos
Gerânios, belas flores, chovo a cântaros
Em cantos escuros é que me inflamo
Em belos e profundos pântanos espanto
Todos os meus demônios e santos

Anúncios