Busca

Raul Otuzi

ideias que inspiram

mês

agosto 2015

Ativação da LewLara/TBWA para Café Pelé

Bronze em Cannes Lions 2015.

Anúncios

Criação da Mood para Huggies

Anúncios da Revolution Brasil para Walita

turnoff2turnoff3turnoff1

Conceito: “Desligamento (resfriamento) instantâneo”.

Bronze em Press Cannes Lions 2015.

Anúncios da AlmapBBDO para WV

almap almap1 almap2

Touareg com ar-condicionado 4 zonas. Cada um sente as coisas de um jeito.

Ouro em Cannes Lions 2015.

Filme da Wieden + Kennedy para Despedida de Derek Jeter

Resenha – Vida Querida de Alice Munro

13524_gg

Confesso que li Alice Munro somente depois que ela ganhou o Nobel de Literatura. Eu aconhecia pouco. Mas o prêmio chamou a minha atenção, claro. Aliás despertou o olhar do mundo todo.

Ela foi a primeira escritora de contos a ser agraciada com tal reverência. Um grande feito, pois os contos sempre foram relegados a segundo plano na hierarquia dos gêneros literários.

O que ela fez de inovador?

Bem, Munro tem um estilo limpo e definido. Escreve fácil, como se fosse uma amiga próxima contando uma história para você, mas uma história profunda com consistência psicológica.

Suas tramas são longas, como se fossem romances diminutos, recortes na vida de personagens comuns. Não existem finais bombásticos, definitivos. Os desfechos não são mirabolantes. Tudo é simples, de uma forma tão orgânica e real que é impossível não se identificar com as pessoas retratadas, em geral mulheres.

O livro “Vida Querida” é o último de Alice Munro. E o primeiro que li. A escritora disse que não escreverá mais, tem 82 anos e fez a sua despedida. Uma pena.

O livro é dividido em duas partes. A primeira é ficção pura. A segunda parte, batizada de“Finale”, reúne quatro textos que são uma espécie de revisão autobiográfica da autora canadense.

A julgar pelo título, fica clara a sua visão sobre a vida. Bem, eu compartilho da mesma opinião. É, querida.

Campanha da LewLara/TbWA para a Fundação Abrinq/Save The Children.

lewlara1lewlara

Nas fotos, crianças estão escondidas em detalhes de roupas de grife. Objetivo: mostrar como o trabalho infantil está “mais próximo das pessoas do que se imagina”, quando relacionado ao mercado da moda.

Campanha da Ogilvy & Mather London para 28 Too Many

genital1 genital2 genital3 genital4

Conceito: “A mutilação genital não acontece somente em lugares longínquos.” Alerta da 28 Too Many – uma instituição criada para acabar com a mutilação genital feminina –  (MGF) aos países europeus. Não, não é só na África não.

Ouro em Press. Cannes Lions 2015.

Filme da Lola Lowe & Partners para Scrubble

Anagram Lovers.  O mundo mágico das palavras. Bronze em Cannes Lions 2015.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑